5 de maio: Dia Mundial das Parteiras

Na mão de quem sabe, seguindo o dom, a ciência e a ancestralidade!! Respeito as parteiras e ao seu conhecimento tradicional!!


No Brasil onde as praticas de saúde tem o modelo biomédico como hegemônico, em que tem na figura do profissional medico como o sabedor e detentor do conhecimento, é difícil garantir a pratica de outros cuidados de saúde  integral e humanizado inclusive os tradicionais frente a fragmentação e medicalização da atenção. O reconhecimento tradicional como parte integrativa da atenção a saúde vai na contramão do modelo hospitalocnetrico, especialmente na medicalização do parto. Sabemos do aumento do numero de cesária  (intervenção que só pode ser realizada pelo medico(a)) no País e ao mesmo tempo se reconhece que intervenções realizadas com outras profissionais como enfermeira obstetra e obstetriz  e por parteiras tradicionais reduz severamente o risco de morte materna. Então precisamos avançar neste agenda por uma saúde integral, pela qualidade de vida das mulheres!!!

“Em nível global, as mortes maternas diminuiram quase à metade nas últimas duas décadas. No mesmo período, o atendimento especializado ao parto aumentou cerca de 15%, com 2 de 3 partos ao redor do mundo sendo agora atendidos por um(a) profissional especializado(a) de saúde. Com pouco mais de 600 dias restantes para o prazo final dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs), novos esforços são necessários para intensificar as ações de educação de parteiras e parteiros profissionais e outros profissionais com habilidades obstétricas, que têm custo-benefício positivo. Tais investimentos são críticos para acelerar os esforços na melhoria da saúde materna e para o alcance do ODM 5, um dos objetivos mais distantes de ser atingido” (UNFPA)*.
“O acesso aos cuidados de saúde de qualidade é um direito humano básico. Cerca de 40 milhões de mulheres ainda dão a luz sem cuidados especializados, aumentando o risco de morte e invalidez tanto para a mãe quanto para o bebê. Mais do que nunca, o mundo precisa agora de parteiras e parteiros. Investimentos nesses profissionais podem ajudar a evitar o significativo número de aproximadamente 290 mil mortes maternas e 3 milhões de mortes de recém-nascidos que ocorrem todos os anos devido à falta de profissionais de saúde bem formados e regulamentados, além de instalações adequadas. E parteiras ou parteiros ajudam mais do que o nascimento dos bebês: elas e eles também fornecem informações e serviços em saúde reprodutiva, incluindo cuidados no pré-natal e pós-natal e planejamento familiar” (UNFPA)*.
* UNFPA – Fundo de População das Nações Unidas
Leia mais: 

Mensagem para o dia Internacional das Parteiras e Parteiros Profissionais 2014

Ampliando la base de prestadores de servicios que ofrecen servicios de aborto seguro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s