24 de Março – Dia Mundial da Tuberculose: A população negra são os 3 milhões


Emanuelle Goes*
Alcançar três milhões é o Slogan da campanha articulada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para o Dia Mundial da Tuberculose. A tuberculose é uma doença curável que, em 2012, havia uma estimativa de 8,6 milhões de novos casos 1,3 milhões de pessoas morreram de tuberculose.
O slogan alerta para denunciar, que dos 9 milhões de pessoas por ano que ficam doentes com TB, um terço deles são “perdidas” por sistemas de saúde. Muitos desses 3 milhões de pessoas vivem em comunidades mais pobres do mundo, mais vulneráveis ​​ou estão entre as populações marginalizadas como os trabalhadores migrantes, refugiados e pessoas deslocadas internamente, os presos, os povos indígenas, as minorias étnicas e os usuários de drogas.
Doença negligenciada que atinge a população negra

Considerada uma das Doenças Negligenciada¹ do Brasil a tuberculose em 2012, teve no Brasil  71.950 casos novos, neste mesmo ano foi notificado casos em 6.683 pessoas do sistema prisional. É necessário destacar que a tuberculose tem cura e é garantido integralmente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), no entanto, se apresenta ainda como um serio problema de saúde pública e tem maior incidência em populações vulneráveis pela falta de acesso, utilização e acessibilidade ao serviço integral de saúde.
A tuberculose é um agravo que sempre atingiu as populações negras e pobres, estudos sobre à a saúde pública sempre apresentou a população negra como o perfil da população atingida por este agravo, sendo uma doença racializada socialmente. Pois, segundo Chalhoub (1996) as políticas de saúde eram racializadas com a dicotomia no combate à febre amarela que atingia os imigrantes e brancos, versus a indiferença no controle da tuberculose, que prevalecia entre os negros, denotando, assim, a engenhosidade dos higienistas brasileiros, na época.
No entanto, com o advindo da epidemia da AIDS e com a criação do SUS, a tuberculose ganha maior visibilidade e investimentos, mas o que ainda pode ser observado é que o agravo permanece com a maior incidência na população de sempre. Ao observamos a taxa de incidência em 2012, a população negra possui maior incidência que a taxa nacional apresentando mais uma vez as disparidades raciais na saúde. (Figura 1)
Fonte: Sistema de Informação de Agravos de Notificação/DATASUS/Ministério da Saúde – 2012, IBGE/PNAD -2012

O que é o Dia Mundial da Tuberculose?

Dia Mundial da Tuberculose é uma oportunidade para fortalecer a conscientização sobre a carga de tuberculose (TB) em todo o mundo e o status de prevenção e controle da TB esforços. O Dia é também uma ocasião para mobilizar o compromisso político e social para novos progressos (OMS).
Progressos no sentido de metas globais para a redução dos casos de tuberculose e de mortes nos últimos anos têm sido impressionante: mortalidade por tuberculose caiu mais de 45% em todo o mundo desde 1990, e a incidência está em declínio. Novas ferramentas de TB, tais como diagnósticos rápidos estão ajudando a transformar a resposta à doença e novos medicamentos que salvam vidas estão sendo introduzidas (OMS).
Mas a carga global permanece enorme e desafios significativos persistem:
  • Em 2012, havia uma estimativa de 8,6 milhões de novos casos de tuberculose e 1,3 milhões de pessoas morreram de tuberculose.
  • Mais de 95% das mortes por TB ocorrem em países de renda baixa e média. As comunidades pobres e grupos vulneráveis ​​são as mais afetadas, mas esta doença transmitida pelo ar é um risco para todos.
  • TB está entre as  três principais causas de morte de mulheres entre 15 e 44.
  • Havia uma estimativa de 500 000 casos e 74 000 mortes entre crianças em 2012.
Desafios
  • Cerca de 3 milhões de pessoas (o equivalente a 1 em cada 3 pessoas caindo doente com TB) estão sendo “perdido” por sistemas de saúde;
  • Há um progresso lento no combate à tuberculose multi-resistente (MDR-TB): 3 em cada 4 casos de MDR-TB ainda permanecem sem diagnóstico, e cerca de 16 000 casos de MDR-TB notificados à OMS em 2012 não foram colocados em tratamento;
  • Prestação de terapia anti-retroviral (ART) para pacientes com TB que se sabe estarem vivendo com HIV precisa aumentar para atender a recomendação da OMS de que todos os pacientes com TB que vivem com HIV prontamente receber ART.
Nota 1: As doenças negligenciadas têm como características comuns a endemicidade elevada nas áreas rurais e nas urbanas menos favorecidas de países em desenvolvimento, além da escassez de pesquisas para o desenvolvimento de novos fármacos. Essas doenças podem prejudicar o crescimento infantil e o desenvolvimento intelectual, bem como a produtividade do trabalho (IPEA, 2011). Dessa forma, as doenças negligenciadas são as que “não apresentam atrativos econômicos para o desenvolvimento de fármacos, quer seja por sua baixa prevalência, ou por atingir população em região de baixo nível de desenvolvimento”.
Referencias:
CHALHOUB, S. Cidade Febril: cortiços e epidemias na corte Imperial. São Paulo: Companhia das letras, 1996.
IPEA. Instituto Brasileiro de Economia Aplicada. EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS NEGLIGENCIADAS NO BRASIL E GASTOS FEDERAIS COM MEDICAMENTOS. Texto para Discussão:, Brasilia, 2011.
Para Saber Mais:

*Enfermeira Sanitarista. Mestre em Enfermagem. Doutoranda em Saúde Pública. Coordenadora do Programa de Saúde do Odara Instituto da Mulher Negra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s